Menu

Análise PS4 – Gran Turismo Sport

O aguardado regresso de Gran Turismo, algo que os fãs ansiavam faz tempo, e um jogo que já era para ter sido lançado faz tempo, mas que felizmente levou mais tempo para ser trabalhado, se calhar um exemplo nesse campo que tantas outras produtoras e editoras em questão deviam tomar como exemplo para o desenvolvimento dos seus títulos, nada deve ser apressado se não estiver como foi idealizado.

GT Sport a meu ver não é para ser visto como uma 7ª entrada da franquia na sua série principal, mas sim como algo à parte, algo mais direcionado ao atual mundo que é os eSports, ou seja competições online profissionais, sendo que aqui GT Sport é direcionado à competição online entregue pelo seu próprio modo denominado Sport, que vai ser regulamentado pela FiA, com o arranque de pré-temporada marcado para Novembro. Neste modo a Polyphony pretende levar a etiqueta de corridas automobilísticas a sério, promover o desportivismo e boa educação em pista, sendo que têm ainda aparte das competições oficiais que vão decorrer, o modo de Daily Races que estão sempre ativas a decorrer ao longo do dia. No final de cada prova deste modo de Daily Races são pontuados com base no vosso desempenho, para vos ser atribuída uma nota que irá determinar com que tipo de jogadores serão colocados durante o matchmaking do jogo, ou seja se souberem correr de maneira limpa, estável e sem prejudicar outros serão postos em prova com jogadores iguais, se gostarem de se atirar para cima de outros, forem propícios a despistes e a causar acidentes de percurso, bem irão encontrar jogadores do mesmo nível, pelo menos em teoria será este o caso, em prática não sei como vos ei de abordar este assunto, por norma conduzo com calma e sem causar problemas a outros, prefiro fazer uma travagem a esbarrar noutro jogador, da mesma maneira que espero que outros tenham o mesmo desportivismo, mas a realidade é que já competi numa prova em que houve um jogador que passou a corrida a atirar-se para cima de outros, e a causar acidentes de percurso, por norma isto resulta inclusive a penalizações de tempo, o que não importa se estão em primeiro lugar ou em 5º, podem muito bem ir para ao fundo da grelha, a questão é que no final dito jogador acabou a ficar em segundo lugar, sem qualquer penalização associada inclusive, este sistema poderá ainda estar em revisão ou não, e a ser adaptado mas que se prova uma falha da Polyphony prova, todo o conceito é interessante, e está a ser bem executado à exceção deste ponto, felizmente em grande maioria do que vejo o desportivismo reina no modo Sport, e acaba a incapacitar estes momentos menos agradáveis.

Quanto à restante oferta de GT acabam a ter o modo arcada onde podem competir contra o CPU escolhendo a vossa pista favorita do jogo, fazer provas de drift a solo, time attacks, organizar uma corrida personalizada, etc…, tudo neste modo acaba a dar-vos créditos, ou pontos de milhas que usam para melhorar certos aspetos dos carros, ou pontos de experiência, ainda ganham também Quilometragem, sendo que têm um objetivo diário nesta. Abordando um pouco mais, quanto aos pontos de experiência servem para vos evoluir de nível, sendo que evolução desbloqueia conteúdo do jogo como pistas, vinis e autocolantes para as vossas criações de liveries, e não só, e no caso dos pontos de milhas têm até uma loja onde adquirir itens, carros, fatos, etc…, que não arranjam em mais lado nenhum do jogo. Ainda têm um modo online normal onde criam lobbies, a fazer contra peso com o competitivo, e por fim um pseudo modo de carreira, onde têm 50 provas que compõem a habitual escola de condução, e ainda um modo de desafios onde vão testar as vossas habilidades de condução, e por fim um modo dedicado a familiarizar-vos com as pistas de GT Sport, dividindo as pistas do mesmo em trechos, fazendo-vos desafios de tempo em cada um de maneira a ensinar-vos a melhor maneira de aproximarem os mesmos, e no final pondo-vos a dar uma volta cronometrada à pista, para ver se realmente aprenderam algo, aqui todo o objetivo acaba a ser preparar-vos para a competição no modo Sport, e está muito bem, posso ainda dizer que enquanto a escola de condução é o habitual, o modo de desafios já é mais direcionado a quem tenha alguma perícia embora meta pelo meio alguns mais simples, enquanto que este último modo já é algo que vos testa mas nada impossível de fazer para principiantes, mas também nada que vá criar um ambiente demasiado simplista e monótono para quem já tem calo.

Em termos da condução em si desligando as ajudas da mesma nota-se as diferenças deste para as entradas anteriores da franquia, uma revisão nas mecânicas de funcionamento dos pneus, a aderência dos mesmos a fricção em funcionamento tudo parece melhor e mais preciso, ainda de notar as físicas de condução em si e mesmo o peso e centro de gravidade dos carros em si parece estar a outro nível que merece consideração por quem aprecia e joga avidamente o género de simulação automóvel, em relação a realismo na questão de danos cosméticos, parece-me a mim que o amor pelos veículos impede Kazunori de os ver partirem-se, e ter consequências de aparência mais graves, nada que tire qualidade a este que é um jogo direcionado a mostrar a apreciação pelas várias máquinas que compõem GT Sport, a minha questão vem que a este ponto esperava mais de GT a nível mecânico nos carros direcionado aos danos nos mesmos.

Abordando esta questão o jogo aproxima-se ao nível de realismo e precisão de jogos como Assetto Corsa, em que podemos mesmo ajustar o nível de tração dos carros, direcionar a força dos travões, ou mesmo o nível de consumo de gasolina, direcionando o mesmo para providenciar mais velocidade ou a um equilíbrio para poupança, com informação de quantas voltas vamos aguentar inclusive, tudo isto em tempo real em pista, fora outras opções mais técnicas previamente à corrida, a questão fica que em danos mecânicos eu procurei a pista com retas mais longas, pus os danos mecânicos no máximo, peguei num Lamborghini Huracan e espetei-me mais de 10 vezes num outro que competia em pista e contra os muros de segurança, e os danos traduzem-se a 3 níveis que podem ser reparados com uma paragem nas boxes. Portanto os danos traduzem-se como disse em 3 pontos, problemas na caixa de mudanças (identificado no jogo como Motor), problemas na direção do carro que afetam realmente a nossa condução (Suspensão), e outro que não notei tanto mas será sem dúvida uma agravante na nossa velocidade e aceleração juntamente com a caixa de mudanças, que fica identificado como aerodinâmica, apesar de isto compor um outro nível de realismo, que não vamos ver nos Daily Challenges, mas sim nas competições oficiais da FiA no modo Sport, espero que de futuro melhorem isto, pois eu pus mudanças manuais, puxei pelo meu Hurancan em 3ª e não vi nenhuma caixa de mudanças a partir-se nem causei nenhum tipo de danos de motor, mas devo de notar que pelo menos os dois primeiros pontos que mencionei, fazem moça final e que se sente no nosso carro, impossibilitando a nossa permanência em competição sem uma paragem mais demorada nas boxes.

Visualmente este é o GT mais deslumbrante de todos, a qualidade nos modelos dos carros é fascinante, embora deva de apontar que pelo menos para mim noto talvez algum ponto aqui ou ali nos interiores dos mesmos que poderiam estar mais bem polidos, mais na questão das barras de segurança, mas tirando isso é de louvar a precisão e qualidade, tanto que no de fotografia do jogo com fotografias de alta qualidade de localizações pelo mundo, em que podemos encontrar algumas em Portugal, os carros acabam a não se conseguir notar que não estavam lá, sendo que nas jantes começa-se a reparar que realmente não é real, mas mesmo assim é fenomenal, sem falar na qualidade das texturas dos elementos que compõem as pistas do jogo, e efeitos visuais de iluminação que tornam esta experiência algo realista, ainda de mencionar o detalhe que se pode chegar a notar de reflexos no nosso para-brisas, é fascinante. A nível de som nota-se qualidade, e a Polyphony apostou forte neste contexto, começa-se a notar as diferenças de som do motor dos carros a desenvolver pelas mudanças de carro para carro de maneira mais acentuada, e a serem mais fieis às suas contrapartes no mundo real, uns mais que outros mas no final uma melhoria e aposta que o estúdio deve continuar a perseguir, mas depois chegamos à seleção de OST que nos acompanha no jogo e sente-se escassa, não consigo contar quantas vezes já ouvi as mesmas músicas durante as aulas de condução, desafios, provas de tempo, modo arcada, e nas competições diárias do modo Sport, fora que a música do menu embora se sinta relaxante e para o efeito cumpre é sempre a temática de jazz. Indo ao menu sente-se os mesmos acessíveis mas se calhar a abordagem aos mesmos começa a ficar algo datada, foi engraçada a simular o ambiente de um PC mais dinamizado mas se calhar já está na altura de outra abordagem na volta, fica como pensamento.

Como tudo o que é bom tem falhas, GT não é diferente e devemos apontar a falta de variedade de pistas com 17 circuitos num misto de localizações reais e criadas pela Polyphony, a contabilizar 40 variações, muitas emblemáticas como Laguna Seca ou Silverstone são inexistentes, e para um jogo com objetivo de ser focado em competição online, é bom que a longo termo venham mais circuitos, também uma rotação de circuitos nos daily challenges não magoava, com uma base de talvez dois em dois dias. A seleção de carros foi cortada, e embora faça sentido focarem esforços em trazer máquinas de maior importância e emblemáticas ao jogo, e concentrarem-se no seu desenvolvimento para o mesmo, sente-se a falta de carros como o Skyline GTR R34, seja na sua forma normal seja na sua versão de competição da Pennzoil ou da Falken, e o mesmo vai para o Toyota Supra e a sua versão de competição da Castrol por exemplo. Para além disto o jogo conta com um museu que nos passa momentos históricos das marcas que têm no jogo, até aqui até é algo interessante, mas também de momentos da história mundial, acaba a ficar desanexado sinceramente esta segunda questão, talvez seja para ir de encontro ao ambiente de clube que querem criar, sendo que até focaram a meu ver melhoramentos na sua rede social interna e com a partilha de momentos e conquistas de objetivos no jogo, mas mesmo assim acaba a não fazer muito sentido ler sobre o New Deal do presidente Roosevelt por exemplo num jogo automobilístico. Fora isto a vertente de controlo dos carros em provas de Drift melhorou, por sua vez o modo de Rally continua algo de causar piada, sendo que melhora com ajustes na tração dos carros mas mesmo assim, continua muito questionável, e nessa vertente nada recomendável.

No final do dia se procuram variedade de circuitos e veículos, bem como uma experiência com lado focado em SP talvez seja melhor explorarem outras ofertas do mercado como Project Cars 2, a visão de competição online e profissional de GT Sport é fenomenal e muito interessante, se continuar a ser melhorada e a ser bem executada, espero que tenha sucesso e sempre que puder irei lá andar a competir, também a aposta na qualidade sonora do trabalhar dos carros é de louvar, bem como a nível visual, mas sente-se o corte em demasia na oferta de veículos com a remoção inclusive de carros que não faz sentido não estarem presentes, e um foco a meu ver em carros preparados para Rally um pouco fora do normal (se calhar estou a imaginar coisas neste ponto), se são fãs da franquia vão sentir falta do modo carreira ao nível dos anteriores, e a pouca oferta de circuitos como mencionei, mas se procuram uma experiência direcionada a levar a competição automóvel com mais seriedade e um modo online de competição profissional a atestar isso mesmo, então Sport é uma opção que recomendo.

Passem ainda no nosso canal se quiserem ver videos e lives de GT Sport e não só!

O aguardado regresso de Gran Turismo, algo que os fãs ansiavam faz tempo, e um jogo que já era para ter sido lançado faz tempo, mas que felizmente levou mais tempo para ser trabalhado, se calhar um exemplo nesse campo que tantas outras produtoras e editoras em questão deviam tomar como exemplo para o desenvolvimento dos seus títulos, nada deve ser apressado se não estiver como foi idealizado. GT Sport a meu ver não é para ser visto como uma 7ª entrada da franquia na sua série principal, mas sim como algo à parte, algo mais direcionado ao atual mundo…
A qualidade sonora e visual sente-se forte em GT, bem como os melhoramentos na condução, talvez nada ainda ao nível de experiências mais completas em PC como iRacing, mas de certo algo que merece respeito e consideração, mas no final do dia sente-se a oferta de circuitos muito baixa, nada que as 40 variações de 17 pistas compense, e o corte em demasia na oferta de automóveis, embora a aposta em competição profissional online acabe a ser aliciante.
Diversidade - 73%
Jogabilidade - 82%
Grafismo - 88%
Som - 76%

80%

Interessante!

A qualidade sonora e visual sente-se forte em GT, bem como os melhoramentos na condução, talvez nada ainda ao nível de experiências mais completas em PC como iRacing, mas de certo algo que merece respeito e consideração, mas no final do dia sente-se a oferta de circuitos muito baixa, nada que as 40 variações de 17 pistas compense, e o corte em demasia na oferta de automóveis, embora a aposta em competição profissional online acabe a ser aliciante.

User Rating: No Ratings Yet !

Sou aquele gajo que ama RPG’s, mas que nunca terminou o FFVII, que acha o Fallout 2 o melhor jogo de sempre, o GBC a consola que nunca foi superada (muito Pokémon na altura :P, mas devo confessar que atualmente de eleição é a PS3, mas GBC é aquela coisa) e que tem como eleição a PlayStation.

No comments

Deixe uma resposta

Video em Destaque

Parceiros