Menu

Análise PS4 – Megaton Rainfall

Já pensaram como seria um jogo com perspetiva em primeira pessoa, que vos pusesse na pele de um ser sobre-humano, invencível e basicamente com poderes semelhantes ao super-homem.

Basicamente aqui encontram um conceito básico, vivem num universo dentro de outro, e parece que o vosso está a ser invadido por uma raça alienígena que quer destruir a raça humana, e pelas mãos de quem vive no universo superior, vocês transformaram-se num ser superior, que é indestrutível, e vão ter de impedir a invasão e destruição do planeta Terra ao cumprir algumas missões. Não é nada de complicado e de dizer que a campanha do jogo é coisa para no espaço de 3/4h estar feita, mas aqui o objetivo é dar-vos mais que isso e sim também exploração, a possibilidade de poderem vaguear pela Terra e pela nossa galáxia, ir ao Sol, Marte, Neptuno, a Lua, etc…, e ainda no processo das missões enfrentar naves colossais, e outros mecanismos de invasão interessantes de se ver em ação, sendo que como são invencíveis, a vossa pseudo barra de vida é os habitantes, existem cidades espalhadas pelo Planeta Terra, e têm de impedir as casualidades da invasão e enquanto enfrentam os invasores convém terem cuidado, pois também os vossos ataques podem derrubar edifícios e matar inocentes. Toda a premissa de herói que seguimos é algo semelhante à de Super-Homem em parte, o que torna isto algo bastante aliciante, em especial com o suporte para PS VR.

É na jogabilidade que se nota uma boa parte da diversão do jogo, andar a voar ao inicio poderá ser algo menos divertido, mas com o completarmos as missões vamos desbloqueando novos poderes passivos e ativos, sendo que dos passivos temos por exemplo a habilidade para voar acima da velocidade da luz, o que nos vai proporcionar viagens pela nossa galáxia, querem ir ver os anéis de Saturno? Querem ir a Marte? Talvez visitar Neptuno? Bem é possível em Megaton Rainfall, fora os poderes ativos que desbloqueiam como disparar esferas de energia, raio laser dos vossos dedos, ou uma onda de energia semelhante a um Kamehameha com propriedades nucleares, capaz de erradicar uma cidade por completo, claro que isto leva ao ponto de game over instantâneo. Existe mais para descobrir claro, em termos de poderes, e a exploração acaba a ser divertida, mas um pouco monótona a certo ponto depois das missões feitas, só resta vaguear pelos planetas, pelo espaço, mas seria interessar apanhar pontos da Terra com vida, diversidade no design das cidades, e ter aldeias mesmo, vida animal na superfície, claro que se submergirem debaixo dos oceanos apanham alguma vida simples animal, mas nada de mais.

Visualmente é fenomenal toda a atmosfera, o aspeto do nosso universo, os planetas e o Sol em si que podemos visitar, dão um deslumbre visual fenomenal, pena que depois nos modelos dos objetos nas cidades como edifícios, habitantes, carros, árvores, se notem como de baixa qualidade em relação ao restante, também as animações dos habitantes a fugir é algo rígido, mas para um indie game que nos dá uma experiência interessante de simulação de super-herói, isto pode ser até certo ponto ignorado, a nível de som os dos habitantes a gritar ficou algo de interessante, a música que toca durante as missões também é algo que ajuda a criar um ambiente sereno, apesar de se sentir falta de haver vá lá, mais 2/3 faixas para variar.

Em conclusão penso que com o VR será algo ainda mais imersivo e nota-se que tem parte do seu conceito feito em volta disso, e que este será uma experiência interessante e que deverá ser tida em conta como tendo bases para possíveis simuladores futuros, para agora fica o fascínio, e para quem procura uma experiência a simular o conceito de ser um super-herói isto será fenomenal, mas a longo termo acaba a tornar-se algo um pouco monótono, mas fica para ser tido em conta para experiências do género.

Já pensaram como seria um jogo com perspetiva em primeira pessoa, que vos pusesse na pele de um ser sobre-humano, invencível e basicamente com poderes semelhantes ao super-homem. Basicamente aqui encontram um conceito básico, vivem num universo dentro de outro, e parece que o vosso está a ser invadido por uma raça alienígena que quer destruir a raça humana, e pelas mãos de quem vive no universo superior, vocês transformaram-se num ser superior, que é indestrutível, e vão ter de impedir a invasão e destruição do planeta Terra ao cumprir algumas missões. Não é nada de complicado e de dizer…
Um jogo bastante interessante e que a meu ver deverá ser tomado como um exemplo de bases a tomar para super hero sim games, e que apesar de curto, acaba a ter conteúdo do mundo/universo do jogo em si para se alguém quiser andar só a explorar os planetas da nossa galáxia.
Longevidade - 73%
Jogabilidade - 83%
Grafismo - 80%
Som - 84%

80%

Fenomenal!

Um jogo bastante interessante e que a meu ver deverá ser tomado como um exemplo de bases a tomar para super hero sim games, e que apesar de curto, acaba a ter conteúdo do mundo/universo do jogo em si para se alguém quiser andar só a explorar os planetas da nossa galáxia.

User Rating: No Ratings Yet !

Sou aquele gajo que ama RPG’s, mas que nunca terminou o FFVII, que acha o Fallout 2 o melhor jogo de sempre, o GBC a consola que nunca foi superada (muito Pokémon na altura :P, mas devo confessar que atualmente de eleição é a PS3, mas GBC é aquela coisa) e que tem como eleição a PlayStation.

No comments

Deixe uma resposta

Video em Destaque

Parceiros