Menu

Need for Speed Payback Chegou!….com Micro-Transações

E chegou finalmente a nova entrada da franquia NFS tendo sido a anterior de 2015 (que analisámos aqui para a PS4). Podem obter o mesmo como já devem saber para PC na plataforma Origin da EA, para PS4 e ainda XOne, como já é norma vão poder percorrer uma nova cidade em mundo aberto, mas que desta vez vos mete num local mais árido, conhecido como Fortune Valley a recriar uma espécie de Las Vegas virtual no universo de Need for Speed, numa jornada que a EA promete ter muita ação, vingança e drama, a alta velocidade claro, pelo menos assim haveria de ser, gostaria de salientar que este jogo inclui um sistema que está a ser das maiores polémicas deste ano, micro-transações ligadas à progressão de jogo.

Um jogo que à partida teria tudo para ter sucesso, sendo fortemente (sem dúvida nenhuma mesmo) inspirado nas entradas mais recentes da franquia Velocidade Furiosa, e que até faz algum sentido maybe, pois NFS Underground foi uma série que se iniciou devido ao BOOM do street racing após o primeiro filme da….Velocidade Furiosa (que é dos meus favoritos, e sinceramente o único de interesse genuino nos automóveis e em street racing, os restantes esqueçam, talvez o Tokyo Drift valha mencionar). E aqui poderiam talvez vir a encontrar uma jornada interessante com foco numa aventura com 3 personagens jogáveis (GTAV anyone?…No?…ok), que parece ser interessante. Apesar de não querer abordar o jogo em detalhe, aliás nem tenho material ou conhecimento para tal (não o estamos a analisar de momento), posso dizer que existe algo neste jogo que pelos vistos o estraga mesmo, e falando sem qualquer conhecimento de causa, habilitando-me a dizer uma bacurada qualquer, o jogo faz uso de micro-transações pelos vistos da pior maneira, já não chega esta praga estar a alastrar-se a jogos nas suas componentes SP, o Shadow of War é um exemplo dos jogos que sofreram disto, bem como o Forza Motorsport 7, Battlefront II (2017), entre outros, ao contrário do Shadow of War neste caso, em que é algo completamente subjetivo na experiência, existindo simplesmente para os preguiçosos que não sabem fazer nada ao dinheiro gastarem na esperança de progredir mais rápido no end game do jogo nomeadamente, que não é tão dificil como dizem, e que as queixas de que o jogo está complicado de propósito para aliciar jogadores a comprarem loot crates para desbloquear capitões de alto nível, a realidade é que o jogo é desafiante porque é para ser desafiante e conta com 3 níveis de dificuldade que nem sequer afetam troféus/achievements a quem queira fazê-los, sendo uma fácil, média e dificil, portanto não, apesar de ser algo desprezivel de ter, pode ser completamente evitado, e até erradicado do jogo à custa de não se ligarem às funcionalidades online da WBPlay network, como podem ler na nossa análise,  como dizia ao contrário de SoW, este NFS segundo já apanhei pela net em análises de outros sites como a GameReactor, o jogo tem parte da sua experiência mesmo feita em volta do sistema de loot boxes para incentivar os jogadores a gastar dinheiro a desbloquear as Speed Cards, que substituem os mais regulares e normais upgrades de performance nos carros, ou seja agora fazem upgrades de performance pelo uso de Speed Cards que podem desbloquear a dar um grind demorado no jogo, ou rapidamente a gastar dinheiro real, ou seja se não quiserem arrotar os vossos euros no jogo, têm de dar um grind anormal no jogo, que o tira fora daquilo que seria de esperar ser um ritmo de progressão regular….

Eu costumo dizer que se não concordam com esta prática simplesmente não a usem, mas aplico isso a jogos como o Shadow of War em que não têm progressão demorada e criada com bases nas micro-transações, porque pode parecer que não, mas este sistema não está ligado às vendas dos jogos, mas sim ao revenue que vai gerar, tendo projeções de lucro à parte por parte da editora, se não gerar o esperado, deixa de fazer sentido a perda de tempo e recursos (financeiros e…tempo lá está) a implementar o mesmo, mas em casos como este só posso dizer que comprem o jogo na promo mais baixa que vierem a encontrar abaixo de 20€, se o quiserem mesmo jogar, se não nem o comprem. Coisas destas criam um grande sentimento de desilusão, pelo menos em mim e tristeza, ainda mais quando a franquia estava finalmente a aplicar bases da altura dos Underground, mas pronto, mais em baixo fiquem com uma quote de Marcus Nilsson, Produtor Executivo do jogo, e pensem bem antes de ir atrás deste jogo, e custa-me dizer isto visto gostar de jogar a franquia, mas é a realidade, evitem mesmo.

“Há dois anos atrás, nós revigorámos o franchise fazendo questão de ouvir aquilo que os nossos fãs queriam, para construir um jogo que regressasse aos princípios fundamentais de Need for Speed – carros rápidos, alta personalização e épicas perseguições policiais. Com Need for Speed Payback, demos um passo em frente ao acrescentar ação ao estilo de Hollywood, cheia de adrenalina, um mapa num mundo aberto, mais opções de personalização e uma narrativa que impulsiona a jogabilidade”, disse o Produtor Executivo Marcus Nilsson. “Estamos entusiasmados por proporcionar uma nova experiência de condução que, não só oferece tudo aquilo o que os nossos jogadores mais gostam, mas que também excede as suas expetativas.”

Sou aquele gajo que ama RPG’s, mas que nunca terminou o FFVII, que acha o Fallout 2 o melhor jogo de sempre, o GBC a consola que nunca foi superada (muito Pokémon na altura :P, mas devo confessar que atualmente de eleição é a PS3, mas GBC é aquela coisa) e que tem como eleição a PlayStation.

No comments

Deixe uma resposta

Video em Destaque

Parceiros